Segunda | 19 de Dezembro de 2016
Eu acreditei...
Eu acreditei...

Em 1984, cheia de esperança, vesti a camiseta das DIRETAS JÁ! Com orgulho de participar de um movimento histórico, levava no peito: EU QUERO VOTAR PARA PRESIDENTE! Minha juventude acreditava que tudo estava mudando para melhor, e eu queria muito acreditar, por isso, não percebi que ali mesmo, já fomos enganados.

Trancredo, eleito pelo Colégio Eleitoral, não chegou ao poder. Em 1988, a Constituição Cidadã prometia mais igualdade e justiça para todos. Cantei LULA LÁ com toda força da minha esperança... Agora novamente participo de um momento histórico. No momento em que escrevo este artigo, meus olhos ainda ardem do gás lacrimogêneo e da fumaça das bombas de efeito moral jogadas sobre os servidores públicos, em frente à Assembleia Legislativa, a outrora Casa do Povo. Cercada por dezenas de soldados da Polícia de Choque, armados até os dentes, que partiram para cima de pessoas, cuja única arma era uma camiseta para proteger os olhos e as narinas. Covardia. Infelizmente, esse é o caminho escolhido por este governo eleito na plataforma da piada infeliz e da falta de projetos que, em nenhum momento disse que esmagaria o Rio Grande, extinguindo direitos garantidos pela Constituição Estadual e Federal. Parcelou salários de forma sórdida, ao invés de combater a sonegação e reduzir as isenções fiscais. A parte ruim da história está se repetindo, intransigência, violência e desrespeito. A sombra sinistra da ditadura se revela na fumaça do gás e das bombas. Já não tenho mais a ingenuidade dos meus 20 anos, e já na casa dos 50, não me surpreendo. O bom disso tudo é que este governo vai passar como o mais incompetente e violento governo que os gaúchos já tiveram, vai ficar na história como um governo ditador e privatista, afinal, é governado por um representante dos interesses privados. Mas há algo que este governo jamais conseguirá extinguir: a força da nossa UNIÃO. Não há bombinha ou gás que mate a nossa esperança. Já os atores e autores desta triste cena, sumirão no esquecimento da história, virarão fumaça ou uma foto amarelada no fundo de um saco de lixo.

Eu acreditei...
Katia Terraciano
Presidente do Sinapers