Manto de heróis e tradições

Estamos vivendo tempos difíceis, que no fundo nunca acreditamos que viriam. Algo nos protegeria dos piores pesadelos. Na infância, nossos pais eram super heróis. Hoje, nem todas as crianças podem confiar nos pais, nem em todos os adultos e vice-versa. Andar de bicicleta na rua até altas horas era nossa maior aventura e o perigo era o “velho do saco”. Atualmente, é o adolescente armado e encapuzado que nos aterroriza. Há 40 anos, jamais passaria pela nossa cabeça que o principal alimento das crianças, o leite, de pureza inquestionável, seria um dia “batizado” com formol. Já não temos certeza de proteção alguma. O ensino superior era sinônimo de sucesso e prosperidade. Na sequência, estudar muito para um concurso público e ter estabilidade, formar uma família, comprar uma casa e veranear de aluguel em Tramandaí. Não daria para enriquecer, mas para viver com simplicidade e dignidade e ter um bom plano de saúde para a família, o do IPE.

Quem, como e quando queimaram a fita desse filme? Fraudes, desvios, corrupção, incompetência, aventureiros no poder, ideologias e, a falta delas, botaram tudo a perder e hoje, o nosso amado Rio Grande chora a pior crise de sua honrada história. Tinha tudo para dar certo... a verdade é que o gaúcho, dos prados que não tem fim, está atolado em dívidas. Os governos vêm se financiando com o alto consumo proporcionado pelo crédito fácil dos empréstimos consignados, sem se preocupar com os danos causados ao cidadão endividado. A depressão é uma consequência comum aos desamparados. Ameaças de parcelamento e congelamento de salários, de retirada de direitos através da previdência complementar aterrorizam os servidores públicos que, somente unidos, encontram a força e a persistência necessárias para o enfrentamento. E o povo gaúcho, que não se entrega diante de uma boa batalha, já está mobilizado com suas entidades representativas. Associações, sindicatos, frentes e federações estão unidos sob o mesmo manto.

Estamos lutando, todos juntos, para que estes tempos não sejam lembrados por serem difíceis e sim por nossa capacidade de superação. Por maiores que sejam os desafios, Rio Grande, queremos continuar te merecendo dentro de nós!

* "Hino ao Rio Grande”, de Simão Goldman

Manto de heróis e tradições
Katia Terraciano Moraes
Diretora